Para traduzir / to translate

Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta HOLANDA ‘ARREPENDIDA’ COM A LIBERAÇÃO DA MACONHA E DA PROSTITUIÇÃO. Classificar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta HOLANDA ‘ARREPENDIDA’ COM A LIBERAÇÃO DA MACONHA E DA PROSTITUIÇÃO. Classificar por data Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Holanda ‘arrependida’ com a liberação da maconha e da prostituição

droga-coffee_shop-167% da população é, agora, a favor de medidas MENOS liberais.
Blog Carmadélio, da Comunidade Shalom, postou no último sábado (09/11/13), uma interessante notícia a cerca da situação da Holanda após a liberação da maconha e da prostituição no país. Confira:
“A Holanda, um dos países mais liberais do mundo, está em crise com seus próprios conceitos. O país que legalizou a eutanásia, o aborto, as drogas, o “casamento” entre homossexuais e a prostituição reconhece que essa posição não melhorou o país. Ao contrário: aumentou seus problemas”
Em matéria publicada na revista Veja de 5 de março, sob o título Mudanças na vitrine, o jornalista Thomaz Favaro ressalta que, desde que a prostituição e as drogas foram legalizadas, tudo mudou em De Wallen, famoso bairro de Amsterdã, capital holandesa, onde a tolerância era aceita. “A região do De Wallen afundou num tal processo de degradação e criminalidade que o governo municipal tomou a decisão de colocar um basta.
Desde o início deste ano, as licenças de alguns dos bordéis mais famosos da cidade foram revogadas. Os cafés já não podem vender bebidas alcoólicas nem cogumelos alucinógenos, e uma lei que tramita no Parlamento pretende proibi-los de funcionar a menos de 200 metros das escolas.
Ao custo de 25 milhões de euros, o governo municipal comprou os imóveis que abrigavam dezoito prostíbulos. Os prédios foram reformados e as vitrines agora acolhem galerias de arte, ateliês de design e lojas de artigos de luxo”. A matéria destaca ainda que a legalização da prostituição na Holanda resultou “na explosão do número de bordéis e no aumento da demanda por prostitutas”. Nos primeiros três anos de legalização da prostituição, aumentou em 260% o tráfico de mulheres no país.
E a legalização da maconha? Fez bem? Também não. “O objetivo da descriminalização da maconha era diminuir o consumo de drogas pesadas. Supunham os holandeses que a compra aberta tornaria desnecessário recorrer ao traficante, que em geral acaba por oferecer outras drogas. (…) O problema é que Amsterdã, com seus cafés, atrai ‘turistas da droga’ dispostos a consumir de tudo, não apenas maconha. Isso fez proliferar o narcotráfico nas ruas do bairro boêmio. O preço da cocaína, da heroína e do ecstasy na capital holandesa está entre os mais baixos da Europa”, afirma a matéria de Veja.
O criminologista holandês Dirk Korf, da Universidade de Amsterdã, afirma: “Hoje, a população está descontente com essas medidas liberais, pois elas criaram uma expectativa ingênua de que a legalização manteria os grupos criminosos longe dessas atividades”. Pesquisas revelam que 67% da população holandesa é, agora, a favor de medidas mais rígidas. E ainda tem gente que defende que o Brasil deve legalizar a maconha, o aborto, a prostituição etc, citando a Holanda e outros países como exemplo de “modernidade”.
Veja o caso da Suíça. Conta Favaro: “A experiência holandesa não é a única na Europa. Zurique, na Suíça, também precisou dar marcha a ré na tolerância com as drogas e a prostituição. O bairro de Langstrasse, onde as autoridades toleravam bordéis e o uso aberto de drogas, tornara-se território sob controle do crime organizado. A prefeitura coibiu o uso público de drogas, impôs regras mais rígidas à prostituição e comprou os prédios dos prostíbulos, transformando-os em imóveis residenciais para estudantes. A reforma atraiu cinemas e bares da moda para o bairro”.
E a Dinamarca? “Em Copenhague, as autoridades fecharam o cerco ao Christiania, o bairro ocupado por uma comunidade alternativa desde 1971. A venda de maconha era feita em feiras ao ar livre e tolerada pelos moradores e autoridades, até que, em 2003, a polícia passou a reprimir o tráfico de drogas no bairro. Em todas essas cidades, a tolerância em relação às drogas e ao crime organizado perdeu a aura de modernidade”. 
Diga não a maconha e a legalização da maconha





QUE VERGONHA DESTE MAUS GOVERNANTES, QUE SÃO A FAVOR DA LIBERAÇÃO DA MACONHA!
Como eles não conseguem controlar a entrada e distribuição das drogas no país e no estado, eles preferem liberar geral, um crime.
Isso tudo é 1°falta de Deus 2° falta de sabedoria e conhecimento, quando sabe-se que qualquer tipo de fumo faz mal para os pulmões o cérebro e pra saúde do corpo 3° falta de planejamento e investimento no combate.  4° falta de vergonha na cara! 
Tem que se investir não só no aparelhamento nas forças armadas, e policias, e sim em áreas sociais, recuperação dos mesmo. 
Isso está comprovados em fatos, nos principais países do mundo, como na EUROPA que não tem pena de morte, mais conseguiu reduzir, as suas porcentagens na recuperação de viciados e diminuição do consumo, por terem investido na área social especializada.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Legalização da maconha aumentou o tráfico de drogas e outros crimes no Uruguai

Legalização da maconha aumentou o tráfico de drogas e outros crimes no Uruguai

Em dezembro, a Brigada de Narcóticos indicou que a droga mais confiscada em 2016 foi a maconha, chegando a 4,305 toneladas até dezembro de 2016


O Diretor Nacional de Polícia do Uruguai, Mario Layera, disse nesta terça-feira que a legalização da maconha, aprovada em 2013, não implicou diretamente na queda do tráfico desta droga e que o narcotráfico aumentou o número de assassinatos.
“No ano passado tivemos os níveis históricos mais altos de confisco no país proveniente de outra região. Por isso, entendemos que o tráfico para o Uruguai não se ressentiu de maneira notável”, comentou Layera em entrevista à rádio El Espectador, sobre a vigência da lei.
Em dezembro, a Brigada de Narcóticos indicou que a droga mais confiscada em 2016 foi a maconha, chegando a 4,305 toneladas até 18 de dezembro, sendo que em 2015 havia sido de 2,52 toneladas.
Layera também sustentou que pelo tráfico de drogas constatado nos últimos tempos, houve um aumento “dos níveis de crimes e homicídios”.
“O aumento da taxa criminal, que medimos de 2005 em diante, foi crescendo com base nos fenômenos de oferta e consumo de drogas”, indicou.
Nos últimos anos a polícia verificou o aumento de assassinatos, principalmente de homens jovens, que em muitos casos se tratavam de ajustes de contas entre pessoas ligadas ao tráfico.
Layera também falou que há autoridades ameaçadas por conta das novas estratégias e medidas aplicadas para combater o crime organizado.
“Várias autoridades do Ministério do Interior foram ameaçadas além de juízes, procuradores e algumas personalidades dos Direitos Humanos”.
Fonte EXAME
Comentário: Podemos ver e saber que esta tal liberação da maconha no Uruguai, não diminuiu e sim aumentou mais do que o dobro do ano de 2015 para 2016, o trafico de maconha, consecutivamente outros crimes agregados ao trafico de drogas, aumentam o numero de assassinatos ligadas ao narcotráfico, e ameaças a autoridades constituídas, como juízes, procuradores, e pessoas ligadas aos direitos humanos.
Já vimos aqui em outra postagem, que a exemplo da Holanda, arrependida por que liberou o uso de maconha e a prostituição, só aumentou os níveis de pessoas viciadas, doentes e desempregadas.
É por estas e outras que eu sou contra a legalização da maconha, e consecutivamente contra a legalização das drogas. Além disso, outros flagelos e problemas estão atrelados, como a corrupção, de agentes de segurança como o crime organizado, pessoas viciadas doentes em hospitais e clinicas, furtam porque ficam desempregados e carecem, sustentar o vicio, e com toda sorte de problemas sociais, culturais e espirituais. 
Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente. Isaías 40:8
NÃO te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam o que é mau.
Porque cedo serão ceifados como a erva, e murcharão como a verdura.
Confia no Senhor e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado.
Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração.
Salmos 37:1-4

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Missionários realizam culto em boate no combate a exploração sexual e trafico de pessoas

O trabalho também consiste em ajudar a se libertarem quem está na mira do tráfico sexual e tráfico de pessoas

Contra exploração sexual, missionários fazem cultos em boateContra exploração sexual, missionários fazem cultos em boate

Missionários cristãos participantes do projeto Iris Fortaleza resolveram lutar contra a exploração sexual realizando cultos na boate da Praia de Iracema, localizada em uma zona reconhecida internacionalmente pela exploração sexual.
A equipe trabalha com crianças e adolescentes que já foram explorados no local, o projeto com essas crianças já completou quatro anos, mas os cultos são recentes.
Foi a própria casa quem convidou os missionários para evangelizarem no local. “Ficamos surpresos com o agir de Deus e empolgados com a possibilidade. Deus agiu de uma maneira sobrenatural, e conseguimos alcançar o coração de Deus para aquele lugar, tanto que hoje já realizamos o segundo culto no local”, afirmaram os organizadores.
Os missionários trabalham evangelizando e fazendo acolhimento nas zonas de prostituição na capital cearense. O projeto também inclui a sensibilização e a mobilização sobre o tráfico humano, acompanhando meninos e meninas que abandonam as ruas em busca de trabalho.
Eles relatam que no ano passado, durante a época da Copa do Mundo no Brasil, algo muito marcante aconteceu com uma jovem que recebeu proposta para “trabalhar” no México. Desconfiados de que se tratava de um golpe de tráfico de pessoas, os missionários resolveram clamar a Deus por uma intervenção divina.
“Oramos para ver uma maneira de Deus agir naquela situação, sabendo dos riscos que ela e nosso time estaria correndo. Dois de nossos missionários resolveram conversar com o homem para ver as suas intenções. Nesse tempo, oramos sobre a vida dele e pedimos que Deus se revelasse a ele de alguma maneira. Depois de uns dias fomos surpreendidos com um testemunho impactante. O rapaz revelou suas intenções sobre o tráfico e disse que não podia fazer aquilo com a jovem por ter recebido uma revelação de Deus”, contam.
O Ministério Iris foi fundado por Heidi e Rolland Baker e tem sua sede em Moçambique. Em Fortaleza os missionários realizam trabalhos nas favelas mais violentas da cidade, sempre realizando projetos junto aos mais esquecidos pela sociedade e que são sedentos pela Palavra de Deus como as prostitutas, os traficantes, órfãos e as viúvas. 
Fonte Gospel Prime 
Comentário:Trabalhos missionários como este, em lugares em favelas, comunidades, e boates, é que o Brasil e o mundo precisam para resgatar, libertar vidas e almas das garras do pecado, das garras dos príncipes das trevas, conduzindo a verdade que liberta, conduzindo seres humanos a dignidade, cidadania, e principalmente ao reino de Cristo livrados da condenação eterna, para a vida eterna.
Misericórdia, e paz, e amor vos sejam multiplicados.
Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos.
Porque se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus, e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo.
Mas quero lembrar-vos, como a quem já uma vez soube isto, que, havendo o Senhor salvo um povo, tirando-o da terra do Egito, destruiu depois os que não creram;
Judas 1:2-5